Histórias da high capixaba LXV

Social

Algumas vezes, compartilho notícias com vocês que, de tão SURREAIS, alguns ficam em dúvida se não são frutos da minha imaginação. Mas, juro, não invento NADA. Como, por exemplo, a história de hoje: uma festa para inaugurar a DENTADURA. Não, não foi naquela mansão dos sete anões no jardim, na Ilha do Boi. Foi em CARATOÍRA, mas, reunindo figuras conhecidas que transitavam bem nos salões e no samba. A festa, inclusive, era para uma costureira da NOVO IMPÉRIO.
Em determinado momento, já com o pagode correndo solto, adentra no ambiente, sobre uma almofada, a dentadura para ser entregue à dona. Momento de tensão quando descoberto que a dita cuja tinha ficado grande na boca. Mas, o milagroso COREGA resolveu o problema. Sobre uma salva de palmas, surge o médico ALARICO LIMA, sempre com boas tiradas, com um embrulho de presente para a dona da festa. O que era? Uma rapadura. Sim, uma barra de rapadura! E, ao abraçá-la, sussurrou:
- Para você fazer o teste.
Como diria o saudoso Sérgio Caseira: Sacratíssimo Coração de Jesus! Quá... Quá... Quá...

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria