A Importância do Limite

Reflexão

Quando estamos habituados a uma rotina de trabalho, dificilmente somos capazes de entender os nossos limites. Já, há alguns anos, a necessidade de ganhar MAIS, de comprar MAIS, de ter MAIS, MAIS e MAIS, nos cega e vamos aceitando os desafios que isso requer. Quando colocamos o pé no freio, e nos sobra tempo de avaliar as nossas limitações, a realidade passa a nos deter e pelo menos questionar: Pra que tanto?
Nestes dias que passamos descansando na Fazenda e matando saudades de um de nossos filhos, constatamos a diferença que existe entre a vida do campo e a da cidade. Não existe moleza em viver no campo, mas existe o silêncio na hora certa, existe o ar puro e a dispensa de uma agenda, onde quase tudo na cidade pode ser traduzido como COMPETIÇÃO. Parece que no mundo cosmopolita você só é RESPEITADO se for reconhecido.
Aqui, como diz o sábio e admirável filósofo MARIO SERGIO CORTELLA: "O único desespero do rio é saber que ele não pode parar!” Acho que muitos seres humanos vivem como os rios, não há nada que os detenha. E, sendo assim, vem o cansaço mental, e, quando consegue os seus objetivos, idealiza outros e outros, que muitas vezes pode trazer DINHEIRO, mas com ele muitos problemas.
Na vida, também segundo CORTELLA, “é preciso ter raiz, não âncora. A raiz nos alimenta e a âncora nos imobiliza.” Tenho andado realmente muito preocupado com tantos amigos que nos enviam WhatsApp e deixam transparecer a grande tristeza que os dias de isolamento provocam. E isso vai, também, nos contaminando. Viver a solidão por decisão própria é uma coisa, e ser OBRIGADO a dar adeus de longe, se cumprimentar com cotovelos, deixar de reunir com os filhos e netos em torno de uma deliciosa refeição, é uma sentença cruel. Dependendo da união que haja em família, é deixar uma grande brecha para uma doença tão grave quanto a que nos obriga a isso. Ela se chama DEPRESSÂO. E tenho certeza, que a essa altura, centenas estão dentro de suas casas sofrendo dela.
Uma técnica de enfermagem nos contou que uma paciente contaminada com o COVID-19 disse: “Temo muito mais a DEPRESSÃO que já vi em outras pessoas, que estar aqui contaminada!” É tudo uma questão do olhar de cada um. Se COVID-19 é transmissível, não tenham dúvidas que a DEPRESSÃO também é. Infelizmente, por mais otimista que seja, ainda vejo com distância a liberdade porque os que comandam esta guerra não conseguem enxergar a IMPORTÂNCIA DO LIMITE. Digo com propriedade porque, para mim, já extrapolou demais e muitos, mesmo sem a contaminação, morrerão de desgosto, diante da falência, diante da impossibilidade de salvar décadas de trabalho. Imagem de S. Hermann & F. Richter por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria