A minha saga como colunista social - Cap. 04

Social

 

Fiquei sabendo que o redigido em um capítulo anterior, sobre o poder dos colunistas, foi muito debatido; lógico, muitos colocaram em dúvida. Pois então aqui vai o registro de alguns fatos para que isso fique claro: quando fiz 20 anos de colunismo, fomos agraciados (eu e Eliza) com a primeira viagem em FIRST CLASS, com destino à minha amada PARIS, nas asas da AIR FRANCE. Não falo de classe executiva, e sim de FIRST CLASS. Das seis viagens que fiz de navio, quatro delas foram como convidado e com todas as mordomias. Quando nossos filhos eram menores, passamos inúmeras vezes finais de semana no Rio de Janeiro, hospedados no Rio Atlântica e no Sheraton Hotel, sem nenhum custo. Em São Paulo, também éramos recebidos com tapete vermelho no SHERATON MOFARREJ e no MAKSOULD PLAZA.
Fizemos alguns FAM TOURS pelo Brasil e para os Estados Unidos com jornalistas do Brasil. Aos poucos, isso foi se tornando escasso porque, naturalmente, o custo era alto. Até os benefícios de agentes de turismo, que tinham passagens gratuitas e a cada 10 passageiros direito a uma passagem grátis, foram cortados. Ainda sentimos o prestígio conquistado nos quase 48 anos de atividades, mas muito longe do que era na década de 90. No dia de nosso aniversário (meu e de Eliza), eram montanhas de presentes; até generosas importâncias em moedas estrangeiras. Como disse, era algo inacreditável, mas, ainda somos lembrados como poucos, acredito.
E sempre quando falo sobre momentos INESQUECÍVEIS, tenho de lembrar que um dia, também nas comemorações dos 20 anos de colunismo, fomos acordados às 7 da manhã com uma Orquestra de Violinos em nossa porta e cestas de café da manhã, com tudo personalizado com meu nome. Desculpa, mas nunca soube que nenhum outro colunista local tenha recebido tamanha honraria. E, detalhe: a pessoa que nos enviou era totalmente LOW PROFILE, mas sempre nos cobriu de carinho e gentilezas.
Tenho também, em meu currículo, a honra de ter sido o único até hoje que fez uma festa particular na residência oficial do governador, na Praia da Costa. Inclusive, quando anunciado, um coleguinha inconformado buscou deputados amigos dele e tentou impedir, mas não conseguiu porque a primeira-dama da época, a querida MARIA HELENA FERREIRA, enfrentou e disse que já tinha dado a palavra e não voltaria atrás. Esses fatos podem comprovar que realmente éramos AUTORIDADES. Prestem atenção, eu disse NÓS, não apenas EU. Todos gozavam de prestígio elevado. Uns mais, outros menos, mas todos.

            

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria