O peso das decisões

Reflexão

Todos nós já nos deparamos com aqueles momentos onde uma DECISÃO pode mudar as nossas vidas. Nem sempre estamos prontos. Muitas vezes, a nossa palavra trará consequências de um momento mal pensado porque, na ordem natural, sempre nos achamos donos da nossa verdade, ignorando qualquer possibilidade do lado oposto. Escolher se torna fácil quando os nossos sentimentos e ilusões não estão envolvidos.
Decidir por si, já é uma responsabilidade sem limites, imagina quando você é incumbido de decidir por filhos, netos ou qualquer pessoa dependente de você? Imagino sempre a cabeça de um JUIZ, no momento do seu julgamento. Tenho um filho que breve terá essa função e peço a DEUS que sempre o ilumine para não fazer NUNCA pessoas corretas se sentirem HUMILHADAS, pagando pelo que não fizeram. Conheço inúmeros casos assim. Eu mesmo, há uns 30 anos, fui parar no Tribunal do Trabalho numa situação que uma funcionária caiu no “CONTO DO PACO” e deixou levar uma boa quantia na fila do banco. Não quis nada dela, apenas pedi que ela fosse ao contador para fazer os acertos. Ela abandonou o emprego e, embora tivéssemos colocado no jornal e seguido os trâmites normais, ela nos levou para o Ministério do Trabalho. Até aí, tudo bem, porque ela tinha o seu dinheiro a receber, mas buscava indenização.
No dia, o juiz pediu que esclarecesse o fato, contei tudo e ao final de me ouvir, ele, na maior cara de pau, disse: “Tudo bem, mas o senhor tem muito mais chance de reaver o dinheiro que ela!” Claro que saí revoltado da audiência, não pelo dinheiro, mas pelo julgamento. Quer dizer que um funcionário perde o seu dinheiro e ainda acha que ser mandado embora, mesmo pagando o que é de direito, lhe dará direito também à indenização? Então... essa decisão eu nunca engoli, e quando vejo este senhor, tenho nojo. Mas, lembro também de uma frase que gosto muito: “JULGARÃO SEUS ATOS, CRITICARÃO AS SUAS DECISÕES, OPINARÃO SOBRE SUAS VIDAS, MAS JAMAIS PAGARÃO AS SUAS CONTAS.” Daí, nunca estaremos blindados às injustiças, mas podemos evitar de tomar decisões que possam fazer outros sofrerem pelo que não tenham feito. Decisões têm consequências e indecisões certamente causam um prolongamento de ansiedade e dor. Quando for decidir, use a razão, nunca a emoção. Imagem de Arek Socha por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria