A imortalidade humana

Reflexão

Há uma coisa muito interessante que só fiquei sabendo através de uma palestra do genial MARIO SERGIO CORTELLA: é que, de todos os seres vivos, somente os seres humanos sabem que MORRERÃO. E, com certeza, é a coisa mais temida pela maioria.
Viver é um presente de DEUS, que muitos agradecem todos os dias, indiferente se está ganhando dinheiro ou não, se está enfermo ou não. O importante é valorizar e desfrutar das melhores coisas escolhidas por nós mesmos. Quando se pensa em MORTE, nos vem a imagem triste do afastamento para SEMPRE de tudo que amamos. Mas, em VIDA, poucos buscam a sua IMORTALIDADE fazendo algo que o torne notável. Não por si mesmo, mas pelos outros.
Basta apenas um ato para que você seja lembrado por anos, décadas, séculos. MORRER é apenas ser esquecido. Você continuará IMORTAL enquanto alguém lembrar de seus atos, do seu carinho, do seu sorriso, que em determinados momentos trarão recordações inevitáveis.
Algumas pessoas acreditam que os famosos são IMORTAIS. Grande engano, alguns famosos, por algum tempo, são esquecidos ainda em VIDA. Só são lembrados quando morrem. E, naquele dia, a importância da IMORTALIDADE é muito relativa. Prefiro mil vezes ser lembrado por aqueles que amei, do que por pessoas que não me conheceram na intimidade. Aliás, talvez baseado na ridícula e irritante mania que as pessoas têm de coroar e dar todos os títulos de bondade às pessoas só quando estão mortas. Tenho absoluta certeza que muitos já nascem mortos, enquanto outros, muito poucos, são imortais até morrerem.
Enfim, plagiando o poeta Vinicius de Moraes, vale lembrar aquela máxima dele: “Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure.” Imagem de Rafael Moura Sb. por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria