Chegadas e partidas

Reflexão

Na vida, todos nós passamos por momentos de angústia e prazer traçados entre dois pontos: as CHEGADAS e as PARTIDAS. Geralmente, as CHEGADAS trazem ansiedade, prazer e alegria. Já as PARTIDAS nos maltratam porque, em algumas situações, é o FIM. E mesmo não sendo, deixa os nossos corações magoados, indecisos e preocupados.
A chegada de um filho é sempre emocionante. Não só quando nasce, mas quando ficamos algum tempo sem vê-lo; e quando isso acontece, o coração dá cambalhotas e nos faz sorrir. Da mesma forma, porém com menos intensidade, aquele amigo de infância que você ia para as festas, que dividiu com ele(a) os seus primeiros segredos.
A genial CORA CORALINA disse: “A nossa vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim teremos o que colher!” A colheita a que ela se refere, naturalmente, são as boas lembranças vividas, tão positivas que, naqueles dias de tristeza, podemos recorrer a elas para nos reanimar. Eu, particularmente, tive uma infância e adolescência muito RICA em bons momentos e felizmente sei usá-los quando sinto-me ameaçado pela dor da TRISTEZA.
Mas, se existe algo que balança a minha cabeça e mexe com o meu coração são as despedidas ou PARTIDAS. Realmente, não tenho estrutura. Quando a minha mãe morreu, fiquei três dias trancado num quarto, sem querer ver ninguém. As coisas materiais que perdi NUNCA conseguiram me atingir de forma certeira, mas as pessoas que AMEI, ou AMO, me jogam no fundo do poço na hora do ADEUS. Já tentei ser mais FORTE nessas horas, mas fracassei em todas.
Hoje, tenho a CERTEZA que entre a VIDA e a MORTE, ou a nossa CHEGADA e a nossa PARTIDA, apenas o que interessa são os momentos de ALEGRIA que fizeram nosso coração pular e os olhos demonstrarem a nossa EMOÇÃO. O resto é tudo ilusão, continuará e se perderá no esquecimento de todos. Imagem de Jose Antonio Alba por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria