As doenças inexplicáveis

Reflexão

Neste ano de 2020, muita gente que gozava de plena saúde se viu diante do que é viver DOENTE. Conheceu o outro lado da vida, onde NADA nos traz prazer e nos voltamos totalmente à busca da CURA, que, em muitos casos, não chega. Conheço uma frase de MARCEL PROUST que é cruel, mas tem sim o seu lado de verdade. Diz o seguinte: “A natureza parece quase incapaz de produzir doenças que não sejam curtas. Mas, a medicina se encarrega da arte de prolongá-las."
Se considerarmos os trilhões que os laboratórios, farmácias, consultas e hospitais faturam em torno de doenças, fica fácil acreditar. No momento, um vírus paralisou o mundo, matou muitos e enriqueceu ainda mais muita gente ligada à medicina. Mas, antes, outras doenças consideradas também INCURÁVEIS deixavam muitas dúvidas.
Por exemplo: tenho um amigo, de condições financeiras bem reduzidas, que o seu pai, um senhor de 94 anos, precisa tomar um remédio chamado ABIRATERONA, que, segundo ele, custa R$ 10 mil a caixa, que dá para um mês. Existe um genérico que custa R$ 2,5 mil. Óbvio que ele não tem dinheiro para comprar. Conseguia através do SUS, no Hospital Santa Rita de Cássia, mas, agora, o médico avisou que está em falta e será necessário entrar na justiça, ou recorrer aos amigos para se cotizarem. Ou seja, está condenado.
Agora, a pergunta: Remédios neste preço e cirurgias milionárias têm explicação? Claro que não! A vida vem se tornando privilégio de quem tem dinheiro para prolongá-la. E será que vale a pena? Sei de casos de pessoas que venderam imóveis para fazer uma cirurgia e de nada adiantou. Aliás, alguém disse que "uma das causas mais comuns de todas as doenças é o DIAGNÓSTICO.” Sim, porque enquanto você não sabe, pode até levar a vida na normalidade. Talvez MOLIÉRE esteja coberto de razão quando disse: “Quase todos os homens morrem de seus REMÉDIOS, não de suas DOENÇAS.” Inexplicavelmente! Imagem de ar130405 por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria