Diário de Um Enclausurado II

Reflexão

Por Jorginho Santos

Há anos, acordo sempre às 7h40 da manhã, exceto quando tenho algum compromisso de trabalho ou viagens de embarque mais cedo. Sou acordado pelo intestino, que parece ser londrino. Depois que levanto, tomo banho, me perfumo, vejo rapidamente os WhatsApps e depois vou tomar o meu BREAKFAST com Eliza. Essa rotina só se modificou porque dispensamos a secretária e aí sou eu quem gosta de fazer o café, arrumar a mesa e deixar tudo bonito para nós dois.
Ontem, depois que tomamos o café, fui ouvir música clássica, arrumar os DVD's e achei até alguns que NUNCA tinha ouvido. Pensei: "Como a gente gasta dinheiro sem necessidade!" Sim, se ainda estava na embalagem, não despertou o interesse que valesse a pena comprar. Primeira aula do enclausuramento. Ainda bem que era um DVD de PHIL COLLINS, muito bom.
Chegou a hora de ir para a cozinha fazer o rango. O momento que me distrai. Optei por fazer bisteca suína com abacaxi, couve mineira e aquele ovinho frito, arroz e feijão. Fiz tudo em 30 minutos. E o TRIO (eu, Eliza e Leopoldo) adoramos. Sobremesa não existe. Estou levando a sério estes dias, procurando uma alimentação saudável.
Antes de dormir, o “sono da beleza”, como diz Mário Augusto Ferreira, liguei a televisão para me atualizar com os noticiários. Nada de novo: as mesmas tragédias, uns até aumentando mais. Desliguei e passei para as redes sociais: os mesmos brigando com os mesmos, por opiniões contrárias ao fato de ficar em casa, ou sobre BOLSONARO, e outros ainda tentando ressuscitar os petistas. Desliguei e fui dormir.
Quando acordei, vi um WhatsApp do querido OCTAVIO BASTOS que se dizia em pânico com uma situação HORRENDA que teria acontecido em Vila Velha com uma pessoa próxima. Duvidei a princípio, mas como ele disse que era alguém familiar, e sei que ele é uma pessoa SÉRIA, fiquei INDIGNADO. Resolvi aguardar um pouco para divulgar. Horas depois, ele me pede desculpas e conta que foi uma brincadeira de extremo MAU GOSTO da pessoa. E foi mesmo!
Nestes dias, os filhos PAPARICAM os pais tanta é a pressão que a mídia e as redes sociais fazem com o quadro para “OS VELHINHOS”. Aqui em casa, não é diferente; um inclusive vive me procurando dentro de casa e se refere a mim como “O REBELDE”. E eu ando tão comportado! Quá... Quá... Quá... Mas, é gostoso. Quando fui ao escritório buscar meu computador, fui surpreendido com um bilhete de TERRY: "PAI, SE CUIDA! EU TE AMO!!!" Como diria o nosso amigo DE PRÁ: “Bota preço!” 
Então, meus amigos, o ENCLAUSURAMENTO serve para reflexões, para reatar hábitos de família que não se valorizam entre si e para ter a certeza que o importante é a UNIÃO, externando sentimentos sem data e hora marcadas. Quando tudo isso passar, essa história certamente será contada no futuro por filhos e netos, e seremos lembrados como HERÓIS de uma guerra que paralisou o mundo e nos obrigará a mudar o estilo de vida.

                                                                             

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria