A descoberta do desnecessário

Economia

Quando começou a PANDEMIA e as pessoas foram obrigadas ao isolamento social, se trancando em casa e sem muito o que fazer, de imediato, muitos descobriram que tinham coisas demais e que eram ACUMULADORES do que não precisam e dificilmente teriam oportunidade de usar. Acho que um dos primeiros famosos foi o florista paulista VIC MEIRELLES, que resolveu abrir um galpão colocando TUDO à venda que não fazia sentido nenhum continuar guardando.
Isso chamou a atenção de muitos para fazer o mesmo e virou uma mania, do Oiapoque ao Chuí. A hora é de DESAPEGAR, de abrir armários, depósitos, gavetas e vender, doar, enfim, limpar. E, certamente, passar a acreditar que o consumo requer consciência. Sabemos que isso implica em queda de arrecadação comercial, em desemprego e outras coisas. Mas, se endividar para lotar armários hoje, está mais que comprovado, é DESNECESSÁRIO. Compre o que se apaixonar e quando se tornar indispensável. Esse é mais um ensinamento que veio com a temporada do isolamento social. Imagem de mohamed Hassan por Pixabay 

COMPARTILHE:




Faça seu login e comente essa matéria