Dívida milionário no hospital

Saúde

Parece brincadeira, e nem se pode definir se é trágico ou cômico. Ontem, os jornais do País mostraram um caso de um senhor que ficou internado por mais de seis meses com COVID-19, em um hospital particular de São Paulo, e quando teve alta apresentaram a ele uma conta de R$ 2,6 milhões. Imagina que o senhor é dono e vive de uma banca de jornais. Isso traz um debate que precisa da ação dos governantes. Não faz sentido nenhum o custo de alguns remédios e de alguns tratamentos. Os hospitais públicos, há décadas, NUNCA têm vagas e o cidadão pode, num momento de desespero, entrar num hospital particular e acabar assim. 
Meses atrás, aconteceu com um amigo nosso, que infelizmente veio a óbito. Morador de PANCAS, ele se sentiu muito mal e os primeiros-socorros foram num hospital em COLATINA, onde o seu plano não cobria. Colocaram imediatamente na UTI e, para encurtar a conversa, teria de ser transferido para Vitória por recomendação de um médico. Quando a família foi à secretaria, encontrou uma conta de mais de R$ 12 mil por uma noite. Isso, além de absurdo, é ridículo!
Deveria ser tabelado e com preços justos. Do jeito que fazem, além de morrer, o cidadão pode causar a falência da família ou viver na miséria para o resto da vida. Alô, Dr. HÉRCULES SILVEIRA, o senhor que realmente faz um belo trabalho defendendo o direito de pessoas terem um bom serviço de saúde, precisa focar neste sentido. Fica a sugestão. Imagem de Peter Lomas por Pixabay 

COMPARTILHE:


Faça seu login e comente essa matéria